terça-feira, 13 de outubro de 2015

SERENATA




Agora pouco estava me lembrando das serenatas que fiz e pra quem fiz. Me lembrei das gafes, das janelas erradas, do juizado de menor levando o violão- Eu tinha 12 anos , um parceiro de seresta era o Gordo Moraes, a cidade era Itapira. Onde já se viu, 2 moleques, às vezes 3 , saindo de madrugada pra fazer serenata? As meninas deixavam doces no beiral da janela. As vezes dava errado também, pois tinha vizinho que não gostava do barulho, não sei se tocávamos e cantávamos mal, ou se eles tinham que acordar cedo no dia seguinte. Ah, corremos de cachorro também...

Eis uma delas...First of May
https://www.youtube.com/watch?v=1gewTWM6fH0 


Ps. Algumas vezes os *dimaior* me pediam emprestado lá em casa pra eu ir tocar violão para eles em serenatas, as mulheres pra quem eu tocava eu não sei quem eram...*eram idosas para mim* (pensando, elas deviam ter 22 a 25 anos) o dobro da minha idade.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Foto do começo dos anos 80 ( Festival de Música em Itapira)
Beto Passarela- Wardinho, Bitenka, Gustavo e eu/Kalau


O Parque Juca Mulato

Não me lembro quando foi a primeira vez que fui passear no parque, mas me lembro de caminhar ali na beira do precipício, aquilo era enorme. As sombras eram dos birizeiros, o chão era cheio de sementes, haviam também pés de jatobá. Eu vi a imensidão, a praça da arvore era no infinito e hoje está tão perto. Aquele precipício se tornou um morro fácil de escalar- Quantas vezes não fui até o Cruzeiro, hoje fechado por grades- ficava ali olhando o horizonte e às vezes era possível ouvir gritos dos pacientes do bairral. Uma vez eu vi alguns internos correndo pela rua , haviam fugido de lá, eram os chamados "loucos" confesso que tinha um certo receio de passar ali perto quando criança. Na época do primário no Julio Mesquita era comum depois da aula dar uma andada por ali. Tinha o posto de puericultura ali em frente , um prédio interessante, não sei se ainda existe. No meio do parque haviam muitas arvores e mangueiras, também me lembro de apanhar mangas por lá, bons tempos de quem teve a chance de passear tranquilo sem sequer pensar em ser incomodado por algum bandidinho vagabundo. Compus uma música para homenagear o parque- é só clicar no link para ouvir. Algumas pessoas contribuíram com fotos, os nomes estão ao lado direito das imagens.